WhatsApp vs PicPay: quais as vantagens e desvantagens de cada serviço

A chegada do sistema de pagamentos do WhatsApp ao Brasil pegou muita gente de surpresa. Apesar de estar limitado atualmente a três bancos e indisponível para a maioria dos usuários, o recurso tem o potencial para alterar o panorama dos pagamentos digitais no Brasil. A seguir, analisaremos as principais diferenças e semelhanças em relação a um dos aplicativos mais populares do segmento no país, o PicPay.

O sistema do WhatsApp era esperado primeiro na Índia, maior mercado do aplicativo em número de usuários e onde já estava em teste há mais de um ano. Para se ter uma ideia, enquanto o “Zap” é usado por cerca de 120 milhões de pessoas no Brasil, no país asiático, o número é mais de três vezes superior.

PicPay pode ser usado em terminais de pagamentos da Cielo (imagem: PicPay)

WhatsApp Pay e PicPay: as semelhanças

A principal semelhança entre os aplicativos está na simplicidade de uso do sistema de transferência de dinheiro. Desde que ambas as partes utilizem o mesmo aplicativo, basta selecionar o usuário na lista de contatos, escolher a função de pagamento, preencher o valor e confirmar a transferência.

No caso dos pagamentos em lojas, o PicPay oferece as opções de ler um QR code do estabelecimento, usar a geolocalização ou pagar em terminais da Cielo compatíveis.

Para pagar estabelecimentos com o WhatsApp, o processo é semelhante ao das transferências, com a alternativa de envio de cobranças diretamente ao cliente na tela de conversa.

WhatsApp Pay vs PicPay: as diferenças

O conceito por trás dos sistemas de transferências do WhatsApp e do PicPay são bem diferentes. Enquanto o PicPay funciona como uma carteira virtual, em que o saldo fica armazenado na conta do serviço, o WhatsApp age como um intermediário da transação entre as duas partes, com a transferência processada pela Cielo indo diretamente de uma conta bancária para outra.

No caso dos pagamentos em lojas, o WhatsApp encaminha o processamento para a Cielo, com a qual o estabelecimento precisa ter uma conta. Neste caso, o pagador pode usar tanto a função débito quanto crédito.

Para pagamentos com o PicPay, o estabelecimento pode tanto receber por uma maquininha tradicional da processadora Cielo quanto pelo aplicativo PicPay Empresas (ou a conta PicPay Pro, para profissionais liberais e autônomos). O pagamento pode ser feito tanto com o saldo da conta no aplicativo quanto pelo cartão de crédito cadastrado.

PicPay funciona como carteira virtual e dinheiro rende na conta mais do que na poupança (imagem: PicPay)

Vantagens do PicPay

Por seu funcionamento como carteira digital, o PicPay pode oferecer uma série de serviços adicionais. A principal delas é que o dinheiro na conta rende, segundo a empresa, 100% do CDI todos os dias úteis. Essa taxa é superior ao rendimento de uma poupação, que paga mensalmente a um rendimento de 70% do CDI.

Além disso, o aplicativo pode ser usado para pagamento de contas e boletos, como um app de netbanking. Outras opções oferecidas são a recarga de créditos para celular e de outros serviços de entrega de comida (UberEats, iFood), transporte (Uber, cartões de mobilidade), streaming (Netflix, Spotify, Deezer, Dazn) e jogos (Minecraft, FreeFire, LOL, PlayStation, Xbox e Steam)

O PicPay começou a liberar para alguns usuários no final do ano passado a opção de saque do saldo na conta digital em caixas eletrônicos da rede Banco24Horas. Além disso, o serviço conta com cashback esporádico e também permite a transferência para conta bancária dos valores armazenados e recebidos no app (sem cobrar taxa para isso).

Força do WhatsApp está em seu uso por mais de cem milhões de brasileiros (imagem: WhatsApp)

Vantagens dos pagamentos via WhatsApp

A principal vantagem do WhatsApp é, sem dúvida, a sua imensa presença no Brasil, com mais de 100 milhões de usuários já utilizando o aplicativo. Após a etapa burocrática do cadastro, fazer transferências é tão simples quanto mandar uma foto.

Outra vantagem é que o sistema se integra à conta bancária do usuário, com as transferências sendo depositadas diretamente nela — elimina-se, aí, a etapa de ter que ativamente solicitar a transferência do app para a conta, como ocorre no PicPay. Para isso, é preciso cadastrar um cartão de débito de um dos bancos habilitados.

Desvantagens do PicPay

O principal ponto fraco do PicPay é a quantidade de usuários no país, praticamente nove vezes menor que a do WhatsApp (13,4 milhões de pessoas, segundo o site oficial). Enquanto quase metade da população no Brasil usa o “Zap”, fazer transferências pelo PicPay pode exigir um pouco de paciência caso a outra pessoa ou estabelecimento não use o serviço.

Outra possível desvantagem é que, apesar de oferecer transferências entre contas teoricamente mais rápidas por não envolver um intermediário, transferir o saldo do PicPay para contas em bancos pode levar até dois dias úteis para quem não é cliente do banco Original.

Sistema do WhatsApp será integrado ao Messenger e Instagram (imagem: Facebook)

Desvantagens do WhatsApp

Em comparação ao PicPay, a desvantagem do sistema de pagamentos do WhatsApp reside no fato de ele funcionar basicamente para direcionar valores entre duas pessoas. O serviço (ainda) não oferece recursos como pagamentos de boletos ou recarga de créditos nem gera cashback.

Além disso, o número de bancos habilitados no serviço atualmente está limitado a três – Banco do Brasil, Nubank e Sicredi. Segundo apurou o Estadão, Itaú Unibanco, Bradesco e Santander teriam testado o recurso do WhatsApp, mas optaram por não participar do lançamento do serviço. Ainda de acordo com o jornal, o recurso foi liberado para cerca de 1,5 milhão de usuários no país, número cerca de nove vezes menor do que a base de clientes do PicPay.

Fonte: Canal Tech

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *