WhatsApp terá opção para enviar fotos que se autodestroem

O WhatsApp poderá ganhar em breve um recurso para aumentar a privacidade dos usuários: a capacidade de enviar fotos que se autodestroem, ou seja, desaparecem automaticamente.

Segundo o WABetaInfo, site especializado em acompanhar o desenvolvimento e descobrir futuros recursos do WhatsApp, é o remetente de uma imagem que indica se ela deve se autodestruir. Ao abrir a imagem, o destinatário verá um aviso de que ela será apagada se sair da tela da conversa.

É um recurso familiar a quem usa apps como o Snapchat,  por exemplo. Mas ao menos no momento, não há no WhatsApp nenhum aviso ao remetente de que o destinatário “tirou um print” (fez um screenshot ) da conversa.

Por esse ponto de vista, o recurso acaba se tornando “inútil”: basta abrir a imagem antes dela se autodestruir, fazer uma captura da tela e o usuário tem uma cópia permanente. Vale lembrar que o recurso ainda está em desenvolvimento, portanto este só deverá ser liberado para todos no futuro.

A capacidade de enviar fotos que se autodestroem foi encontrada em uma versão beta do WhatsApp, e ainda não está disponível ao público. Não há informações de quando ela chegará a todos os usuários.

Além de fotos que se autodestroem, vídeos silenciosos

Um recurso que já está disponível, ao menos na versão Android, é a capacidade de silenciar vídeos antes de compartilhar no status ou enviar em bate-papos.

Depois de selecionar um vídeo para compartilhar, a tela de edição é exibida, oferecendo a opção para cortar o vídeo, adicionar legendas, texto e outros recursos. Nela, há um novo botão de alto-falante, logo abaixo dos quadros de vídeo colocados na parte superior do aplicativo.

Por padrão, o áudio do vídeo será mantido. Os usuários podem escolher clicar no botão do alto-falante e silenciar o vídeo antes de compartilhar. Os usuários do Android com a versão mais recente do WhatsApp terão acesso ao novo recurso de forma gradual, mas não há informações sobre quando os usuários do iPhone terão acesso à novidade.

Fonte: Olhar Digital

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *