Facebook copia bibliotecas de sistema de celulares dos usuários

Empresa não explica o motivo da coleta de informações, nem dá ao usuário a opção de desativar o processo

Uma pesquisadora chamada Jane Manchun Wong anunciou recentemente no Twitter que encontrou um trecho de código no app do Facebookresponsável por verificar periodicamente o celular do usuários em busca de bibliotecas de sistema.

Aparentemente o Facebook parece estar desenvolvendo um banco de dados de todas as bibliotecas de sistema disponíveis nos aparelhos de seus usuários. O código responsável pela coleta se chama “Global Library Collector” ou GLC.

O aplicativo para Android, basicamente, analisa as bibliotecas do sistema encontradas e compara com as que já conhece. Se o Facebook não tiver uma cópia de uma biblioteca encontrada, o app a envia para seus servidores automaticamente. Vale dizer que por serem componentes do sistema, as informações armazenadas pela empresa não contêm dados pessoais.

Facebook scans system libraries from their Android app user’s phone in the background and uploads them to their server

This is called “Global Library Collector” at Facebook, known as “GLC” in app’s code

It periodically uploads metadata of system libraries to the server pic.twitter.com/olwk1BPMoQ— Jane Manchun Wong (@wongmjane) August 30, 2019

Apesar de não afetar a privacidade do usuário, esta ação pode afetar a experiência de uso, prejudicando o desempenho do celular durante a análise ou consumindo parte da banda da conexão durante o upload. De qualquer forma, mesmo sem fazer uso de dados pessoais, existe uma preocupação já que o Facebook não explica o motivo do armazenamento de bibliotecas do sistema em seus servidores. A empresa também não oferece a opção de cancelar a sincronização.

Por enquanto, a explicação mais plausível é que essa coleção de bibliotecas é usada para investigar erros específicos em determinados dispositivos. Seria, desse modo, semelhante à forma como o Google Play Protect funciona ao verificar aplicativos instalados e os carregar em seus servidores para análise.

A principal diferença, porém, é que o Google avisa os usuários sobre a ação, explica em sua página para que utiliza os dados coletados e oferece a opção de não participação – ao contrário do Facebook, que não faz nada disso. 

Via: Xataka Android

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *